Preservação da Fertilidade

Congelamento de óvulos

O congelamento do óvulo, por tempo indeterminado, é indicado em algumas situações: para casais que obtiveram óvulos em excesso durante um processo de fertilização in vitro; no caso de mulheres que irão passar pelo processo de quimioterapia ou radioterapia; mulheres com histórico de menopausa precoce entre os familiares e mulheres a partir de 35 anos, sem parceiro, que sonham em ser mãe. Hoje em dia, o método utilizado é chamado de vitrificação, onde o óvulo é submetido à baixa temperatura de forma abrupta. Assim, a chance de formação de cristais é bem menor e a taxa de sobrevida desse óvulo após descongelamento é maior.  Quando a decisão da gravidez é tomada, é feita a fertilização destes óvulos e a transferência dos embriões resultantes. O acompanhamento médico especializado desta gravidez associado a hábitos saudáveis de vida devem resultar em uma gestação saudável e segura para a mamãe e o para o bebê. 

Congelamento de embrião

Este procedimento é indicado quando existem embriões excedentes em boas condições após uma tentativa de fertilização in vitro. Além de ser uma alternativa para casais que têm risco de perder a fertilidade devido a alguma doença ou tratamento. Assim como os óvulos, os embriões também passam pelo processo de vitrificação e são estocados a uma temperatura negativa de 196ºC em nitrogênio líquido. Os embriões são guardados em pequenos frascos chamados de palhetas. Podem ser congelados individualmente ou em grupos de 2 a 4, dependendo de cada situação. O número de procedimentos realizados até agora e o índice de sucesso por tentativa mostram que este é um procedimento que oferece bons índices de sucesso.

Pré-quimioterapia ou radioterapia

Quando a mulher jovem é surpreendida com diagnósticos de câncer, os tratamentos geralmente incluem radioterapia ou quimioterapia, o que pode ocasionar a destruição do tecido ovariano e como consequência surge a infertilidade e a menopausa precoce. Para oferecer a oportunidade a essas mulheres de terem filhos após o tratamento, é possível tomar algumas medidas para evitar ou diminuir esses efeitos: o planejamento prévio com um especialista é fundamental, pois qualquer procedimento com o intuito de preservar a fertilidade deve ser realizado antes de iniciar o tratamento com radioterapia e/ ou quimioterapia. Por exemplo: através da laparoscopia é possível deslocar os ovários para diminuir os efeitos da radiação. Já para os casos de radioterapia total ou quimioterapia, que tem efeito sistêmico (agem em todo corpo, não importando a localização dos órgãos), as alternativas são: o congelamento de óvulos e o congelamento de embriões.   

congelamento.jpg

bt-pre-agendamento-interna.png

Nossos Contatos

11 3805.9754
contato@clinicainvita.com

Novidades por e-mail